Pai desconfia de filho, segue-o e aprende uma bela lição.




Um pai curioso ficou chocado, no melhor sentido da palavra, ao descobrir onde seu filho estava indo em seus horários livres. Ele notou que Ken, de 9 anos, saia todo dia de tarde de casa, na área rural das Filipinas, com uma mochila nas costas.

Um dia o pai decidiu investigar e foi atrás do garoto. O menino parou em uma rua próxima e momentos depois um grupo de cães de rua, famintos, vieram na direção de Ken. Foi quando o pai percebeu que seu filho saia de casa para alimentar os cachorros. E eram animais doentes, com sarna, mãe e os filhotes. "Eu tenho até vergonha em dizer que, na primeira que os vi, fiquei com muito nojo. Mas, meu filho mudou a minha perspectiva completamente”, disse o homem.



"Ele não tem o meu preconceito e a minha paranoia, eu acho. Fiquei encantado quando vi aquele pequeno cachorro dar a pata ao meu filho”, lembra. O pai orgulhoso agora compra ração para seu filho dar aos animais e ensinou ao filho a importância de se desinfetar, depois de interagir com cães doentes.



Depois da experiência, juntos, pai e filho fizeram um blog chamado Happy Animals Club, traduzindo: Clube dos Animais Felizes. Lá, Ken conta um pouco de sua história e arrecada ração para animais de rua. O garoto sonha em abrir seu próprio abrigo de animais, quando crescer.

Fonte: Só Noticia Boa
Com informações do Metro.
Tradução Kariane Costa.
Matéria sugerida por Karen Gekker
Fotos: Reddit/I_believe_in_Pizza



Momento Espírita: Carnaval


O Brasil é um país de inúmeras festas.
É assombroso o número de feriados no calendário anual.
Mas, se somarmos os dias que são emendados, teremos ao longo do ano, mais de quinze dias parados. Segundo especialistas do assunto, os prejuízos são enormes para o país.
Agora, nesta época, temos o feriado de carnaval.
Em alguns lugares perde-se mais de uma semana de trabalho.
É o festejo da alegria num país de quase quarenta milhões de miseráveis.
Desde o início de janeiro a mídia vem explorando as folias de Momo, como se fosse o acontecimento mais importante do ano.
Fala-se em alegria, festa, colocar para fora as angústias contidas durante o ano passado. Infelizmente, os caminhos propostos nada têm a ver com alegria ou alívio de tensões.
Ligamos a televisão e ouvimos a batida repetitiva das escolas de samba, cujo valor folclórico e cultural foi lentamente sendo perdido. Há muita gente que busca fazer do carnaval um momento de esperança, oportunizando empregos, abrigando menores e isso é muito valioso.
Entretanto, o grande saldo da festa se resume em duas palavras: ilusão e sensualidade.
Referimo-nos à ilusão dos entorpecentes, dos alcoólicos.
A ilusão de grandeza, que falsamente produz um imenso contraste entre a beleza da avenida e a subvida dos barracos.
Falamos da sensualidade que se torna material de venda, nos corpos desnudos e aparentemente felizes por fora, mas muitas vezes profundamente infelizes por dentro.
As emissoras não cansam de exibir os bailes, os concursos de fantasias, os desfiles, levando-os a todos os que se comprazem em observar a loucura.
Mas, ao longo do caminho, multiplicam-se os doentes de AIDS, os abortamentos, a pobreza e o abandono, a violência.
Com o risco de sermos taxados de moralistas, num tempo em que se perdem as noções de moralidade, não podemos deixar de analisar criticamente esses disparates do mundo brasileiro.
Em nenhum momento nos colocamos contra a alegria. Porém, será justo confundir euforia passageira com alegria real?
Alegria de verdade seria viver num lugar onde não houvesse fome, violência, tráfico de drogas e tráfico de influências.
Não podemos nos colocar contra o alívio de tensões. Entretanto, alívio real seria encontrar um caminho para os graves problemas que o país atravessa.
O carnaval é bem típico da alienação espiritual que a sociedade se permite. De um lado, as falsas aquisições sociais de alguns, negadas pela agressividade de muitos; de outro, a falsa felicidade de quatro dias de folia, e trezentos e sessenta e um dias de novas e renovadas angústias.
Vale a pena?
Nessas horas, pessoas embriagadas, perdidas, usam um segundo de falso prazer, em troca de um enorme tempo de arrependimentos. Por quê?  - Perguntamos.
As pessoas pulam, vibram, e nem ao menos sabem o motivo da festa. Vão porque as outras pessoas também vão.
Enquanto a sociedade agir dessa forma, sem personalidade digna, dando valores justamente aos desvalores, as pessoas continuarão sofrendo as consequências de seus próprios atos.
Vamos fazer desses dias de feriado, dias de alegria verdadeira, em paz conosco mesmos.
Vamos meditar, ler, pensar. Vamos conviver com nossa família e amigos, trocar ideias salutares.
Vamos orar também por aqueles que ainda não tiveram consciência de fazer o bem conforme o Cristo nos recomendou, e padecem nesses instantes de euforia descontrolada.
Redação do Momento Espírita.
Em 22.5.2007.

Refletindo com Emmanuel: "Resiste à tentação"



“Bem-aventurado o homem que sofre a tentação.”
(Tiago, 1:12)

Enquanto nosso barco espiritual navega nas águas da inferioridade, não podemos aguardar isenção de ásperos conflitos interiores. Mormente na esfera carnal, toda vez que empreendemos a melhoria da alma, utilizando os trabalhos e obstáculos do mundo, devemos esperar a multiplicação das dificuldades que se nos deparam, em pleno caminho do conhecimento iluminativo.

Contra o nosso anseio de claridade, temos milênios de sombra. Antepondo-se-nos à mais humilde aspiração de crescer no bem, vigoram os séculos em que nos comprazíamos no mal. É por isto que, de permeio com as bênçãos do Alto, sobram na senda dos discípulos as tentações de todos os matizes. Por vezes, o aprendiz acredita-se preparado a vencer os dragões da animalidade que lhe rondam as portas; todavia, quando menos espera, eis que as sugestões degradantes o espreitam de novo, compelindo-o a porfiada batalha.



Claro, portanto, que nem mesmo a sepultura nos exonera dos atritos com as trevas, cujas raízes se nos alastram na própria organização espiritual. Só a morte da imperfeição em nós livrar-nos-á delas. Haja, pois, tolerância construtiva em derredor da caminhada humana, porque as insinuações malignas nos cercarão em toda parte, enquanto nos demoramos na realização parcial do bem.

Somente alcançaremos libertação, quando atingirmos plena luz.


Entendendo a transcendência do assunto, o apóstolo proclama bem-aventurado aquele “que sofre a tentação”. Impossível, por agora, qualquer referência ao triunfo absoluto, porque vivemos ainda muito distantes da condição angélica; entretanto, bem-aventurados seremos se bem sofremos esse gênero de lutas, controlando os impulsos do sentimento menos aprimorado e aperfeiçoando-o, pouco a pouco, à custa do esforço próprio, a fim de que não nos entreguemos inermes às sugestões inferiores que procuram converter-nos em vivos instrumentos do mal.

Fonte: Livro Pão Nosso (Emmanuel/Chico Xavier)

Hoje, 28, tem Joanna de Ângelis no Caridade e Fé


Tema de hoje: Maturidade e Consciência. Participe.

Aviso Importante


O Centro Espírita Caridade e Fé informa que suas atividades rotineiras do sábado, domingo e terça, serão mantidas durante o período carnavalesco.

Portanto, atendimento médico-espiritual e fraterno-espiritual, evangelização infantil, mocidade, estudo e prática da mediunidade, palestra pública, estudo dirigido de O Livro dos Espíritos e reunião mediúnica de desobsessão ocorrerão normalmente em seus dias e horários padrões.

Muita Paz a todos!

Espiritismo e Educação

Imagem da web


A Doutrina Espírita apóia-se num tripé que a faz ser, notadamente, coesa: ciência, filosofia e religião. E, embora não esteja escrito, às claras, entre essas três palavras, mas sua abordagem é eminentemente educativa.

A Codificação Espírita foi organizada por um homem que, além de várias profissões e atributos era Pedagogo. Consequentemente, a forma didática de apresentar o Espiritismo e de sugerir o modo de estudá-lo e vivenciá-lo, não seria distante dos preceitos da educação.

Allan Kardec (Codificador do Espiritismo)

Este preâmbulo foi feito para direcionar melhor a atenção do amigo leitor quanto à questão que trazemos nesse texto. A Revista Veja, na sua edição de número 2362, de 26 de fevereiro do ano corrente, trás uma entrevista com o diretor de uma empresa bélica sueca que, entre outros assuntos tratou do tema educação.

As perguntas do entrevistador, como a meu ver, é o perfil do periódico, tentavam direcionar Hakan Buske, a falar algo que subentendesse corrupção, falcatruas e a tecer críticas ao Brasil e ao governo no tocante a política e educação, mas, como um homem distinto, bem formado e informado, Buskhe soube responder de forma objetiva e tentando fazer o jornalista entender que nem tudo no Brasil é bandidagem.

Mas, esse texto é para dar ênfase à penúltima pergunta feita na entrevista e que foi a menos ácida, embora tentando mostrar que os outros tem educação e nós não. A transcreveremos de forma literal para não gerar dubiedades:

VEJA - "É possível dizer que o sucesso das empresas suecas deve muito a um dos sistemas educacionais mais eficientes do planeta?"  

Atentemo-nos para a resposta do administrador:

H.B. - "Sim, é a chave de tudo. Nós não somos nem mais inteligentes nem mais burros do que os outros povos, mas gostamos de trabalhar em grupo, o que acelera o aparecimento de resultados. Essa cultura do consenso é inculcada desde a escola básica. O outro aspecto a destacar é que nós aprendemos a gostar de aprender. Isso se deve ao fato de que, desde o ensino básico, respeitamos as tentativas de cada aluno, mesmo quando antecipamos que estão no caminho errado, porque isso é fundamental para o desenvolvimento do raciocínio. Não menos importante, a Suécia gasta 10% do seu PIB em educação, o índice mais alto entre todos os países do mundo. E, por último, as empresas suecas, estimulam continuamente a inovação. Na Saab, gastamos 28% do nosso dinheiro em pesquisa.

Amigo leitor, espíritas, confrades. Pela resposta desse senhor percebemos que o planeta já admite e percebe a necessidade de educar-se educando e transformar transformando-se. Na casa espírita, precisamos adotar modelos de estudos que facilitem a cooperação entre os pares, dando voz e vez às pessoas para manifestarem suas opiniões, mesmo que, a priori, descabidas, mas que mais tarde encontrarão bom senso.

Percebemos ainda muita pressa nas pessoas em querer um mundo regenerado, sem estarmos regenerados. Porque leem, quero dizer leem (por que quem estuda age diferente), algumas obras espíritas, (diga-se de passagem, nem sempre é a codificação) arvoram-se a disparar críticas, comportar-se de forma avarenta exigindo perfeição alheia.

Disse-nos Kardec que o Espiritismo não apresenta falha em suas bases, mas homens falhos em suas práticas. Isso por entender que somos seres em evolução e não absolutamente evoluídos.

Portanto, dignos amigos, na fase em que o planeta se encontra, no país em que vivemos e com a Doutrina que estudamos, o momento é de nos darmos as mãos, estudarmos juntos, usar das virtudes para compreender, apoiar, perdoar e ajudar. Não temos mais tempo para querelas, motins, disputas religiosas, arrogâncias no falar, egoísmo e orgulho julgando-se saber mais que os demais quando ainda não aprendemos sequer a nos desfazermos de apegos materiais ligados aos prazeres da carne que só viciam e adoecem.

Adverte-nos Dr. Bezerra de Menezes. São chegados os tempos! A hora portanto, é de nos educarmos e agir no bem. 

Nosso texto é uma reflexão sobre os tempos atuais, dentro da perspectiva de que podemos contribuir falando e escrevendo coisas boas e não apenas textos que julgam, denigrem, apedrejam a quem quer que seja. Como jornalista, não vejo a hora da imprensa brasileira se tocar que, repercutir apenas o mal, só faz com que mais males sejam gerados.

Que Deus nos ilumine a todos! 

Samuel Aguiar
Pedagogo e Jornalista
Vice-Presidente do Centro Espírita Caridade e Fé
Presidente da União Municipal Espírita de Parnaíba

Homenagem



A família Caridade e Fé parabeniza a nossa confreira de ideal espírita Jeannine Seligmann, Sócia Benemérita daquela entidade.

Em sua jornada que Deus continue abençoando-a distribuindo paz, amor e caridade. Nossos agradecimentos sinceros pelos serviços prestados a tantos irmãos, em nome do Cristo, através das muitas atividades que coordena no Caridade e Fé.

Felicidades!

Participe hoje, 27, da doutrinária do Caridade e Fé


Criado o Conselho Nacional das Entidades Espíritas Especializadas


O Conselho Nacional das Entidades Espíritas Especializadas da Federação Espírita Brasileira, abreviadamente CNE-FEB, surgiu a partir das reuniões realizadas entre estas Entidades e a FEB. A proposta começou a se delinear em Reuniões Ordinárias das Entidades Espíritas Especializadas de Âmbito Nacional na sede da Federação Espírita Brasileira, em Brasília-DF, nos dias 06 e 07 de abril, e, principalmente no dia 12 de outubro de 2013. Em seguida, a minuta de Regimento Interno foi analisada pelas Entidades Especializadas, pela Assessoria Jurídica da FEB e, finalmente, houve a aprovação pela FEB.
O presidente da Federação Espírita Brasileira Antonio Cesar Perri de Carvalho, fundamentado no Estatuto da Entidade (Art. 32, incisos X e XIII; Art.39, inciso XIII), homologou a decisão do Conselho Diretor e Diretoria Executiva da FEB – em reunião conjunta realizada no dia 24/2/2014 -, e aprovou a criação do Conselho Nacional das Entidades Espíritas Especializadas da Federação Espírita Brasileira, como órgão de Apoio e Orientação Técnica da FEB. O novo Conselho será instalado no final do mês de abril com a presença das Entidades Especializadas fundadoras: Abrame, ABEE, Abrade, Abrape, Abrarte, AJE, AMEBr, CME. Veja: Resolução FEB no 01/2014.
Informações: diretoria@febnet.org.br
Fonte: Feb

Vídeo - Carnaval na visão espírita

Fonte: Youtube.com

Refletindo com Emmanuel: "Firmeza e constância".



“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão.”
Paulo (I Coríntios, 15:58)

Muita gente acredita que abraçar a fé será confiar-se ao êxtase improdutivo. A pretexto de garantir a iluminação da alma, muitos corações fogem à luta, trancando-se entre as quatro paredes do santuário doméstico, entre vigílias de adoração e pensamentos profundos acerca dos mistérios divinos, esquecendo-se de que todo o conjunto da vida é Criação Universal de Deus.

Fé representa visão. Visão é conhecimento e capacidade de auxiliar. Quem penetrou a “terra espiritual da verdade”, encontrou o trabalho por graça maior. O Senhor e os discípulos não viveram apenas na contemplação. Oravam, sim, porque ninguém pode sustentar-se sem o banho interior de silêncio, restaurando as próprias forças nas correntes superiores de energia sublime que fluem dos, Mananciais Celestes.

A prece e a reflexão constituem o lubrificante sutil em nossa máquina de experiências cotidianas. Importa reconhecer, porém, que o Mestre e os aprendizes lutaram, serviram e sofreram na lavoura ativa do bem e que o Evangelho estabelece incessante trabalho para quantos lhe esposam os princípios salvadores.

Aceitar o Cristianismo é renovar-se para as Alturas e só o clima do serviço consegue reestruturar o espírito e santificar-lhe o destino. Paulo de Tarso, invariavelmente peremptório nas advertências e avisos, escrevendo aos coríntios, encareceu a necessidade de nossa firmeza e constância nas tarefas de elevação, para que sejamos abundantes em ações nobres com o Senhor.


Agir ajudando, criar alegria, concórdia e esperanças, abrir novos horizontes ao conhecimento superior e melhorar a vida, onde estivermos, é o apostolado de quantos se devotaram à Boa Nova. Procuremos as águas vivas da prece para lenir o coração, mas não nos esqueçamos de acionar os nossos sentimentos, raciocínios e braços, no progresso e aperfeiçoamento de nós mesmos, de todos e de tudo, compreendendo que Jesus reclama obreiros diligentes para a edificação de seu Reino em toda a Terra.

Fonte: Livro Fonte Viva (Emmanuel/Chico Xavier)

Recado aos Pais

 
Oh! espíritas! compreendei agora o grande papel da Humanidade; compreendei que quando produzis um corpo, a alma que nele encarna vem do espaço para progredir; inteirai-vos dos vossos deveres e ponde todo vosso amor em aproximar de Deus essa alma; tal a missão que vos está confiada e cuja recompensa recebereis, se fielmente cumprirdes. Os vossos cuidados e a educação que lhes dareis auxiliarão o seu aperfeiçoamento e o seu bem estar futuro. Lembrai-vos de que a cada  pai e a cada mãe perguntará Deus: que fizeste do filho confiado à vossa guarda? Se por culpa vossa ele se conservou atrasado, tereis como castigo vê-lo entre os Espíritos sofredores, quando de vós dependia que fosse ditoso. Então, vós mesmos, assediados de remorsos, pedireis que vos seja concedido reparar a vossa falta; solicitareis, para vós e para ele, outra encarnação em que o cerqueis de melhores cuidados e em que ele, cheio de reconhecimento vos retribuirá com seu amor.
                                                                
                                                          ALLAN KARDEC

Extraído do: EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO - CAP.XI

Este alerta partiu de quem realmente deteve todo o conhecimento dos motivos pelos quais vêem a nós os filhos que parimos, principalmente os que nos chegam com as intituladas "Rebeldias" e que quando não são largados à própria sorte, recebem castigos materiais de forma truculenta e irresponsável, que acabam por criar verdadeiros verdugos e algozes sociais.
Saibamos então que, parir, alimentar, vestir e matricular em um bom colégio não quer dizer que o nosso filho está sendo educado. A melhor escola se faz dentro de casa, com o direcionamento para os ensinos do Cristo; e para que isso se faça de forma compreensível e correta é extremamente necessário que os pais se preparem moral e espiritualmente para não falirem diante da missão com a qual se comprometeram perante Deus.
Nâo podemos esquecer que estamos construindo e moldando o caráter daqueles que serão por obrigação os nossos cuidadores futuros, e qual de nós deseja um final de vida cercado de maltratos e sofrimentos?... Pense bem.
Paz e Luz a Todos.
                                                                     Pedro Aguiar

Ver o Nosso Viver



 
Vivemos  sempre relutando em aprender ou pelo menos aceitar, as amostras que nos são feitas, ou direcionamentos que nos propõem seguir evoluindo. É como se a vida nos colocasse todo dia diante de espelhos elaborados pela nossa consciência, e nós por outro lado, criássemos paralelamente, mantos de ignorância e para cobrir os reflexos dessas lâminas, onde poderiam ser vistos os erros que cometemos a todo momento.
fazemos todo esforço para nos tornarmos opositores de nós mesmos, mesmo que nos recônditos do nosso ser, uma voz grite alto e plena "está errado, não é assim" , insistimos nos desatinos, fazendo o possível para mostrar a nós mesmos  que o certo é fazer errado, sem nos importarmos que, quase sempre, somos a laranja podre do cesto, que tenta a todo custo enlodar as outras frutas.
Vencer a si próprio, renunciar às ignorâncias, aprender a ouvir medir e internalizar as críticas, mesmo que partam de pessoas que julgamos menos esclarecidas, faz parte do aprendizado da doutrina do Cristo. Cada minuto transcorrido em um novo dia na matéria, deve ser visto e aproveitado da melhor forma possível. Medir nosso grau evolutivo por um simples ato de acridade material, soa como egoísmo, portanto, ouçamos mais o que nos dizem, aqueles nos rodeiam, muitas vezes, aquilo que vemos como insulto ou afronta moral, talvez esteja nos chegando para corrigenda de atos,  raciocínios mesquinhos e atrasados. Quantas vezes presenciamos partir conselhos e atitudes benéficas, de pessoas que consideramos ou julgamos, hipócritas, soberbas e principalmente ignorantes?
A vigília da nossa consciência deve ser constante e plena.
Muita paz e Luz a Todos.
                                                             Josefina 

Do Livro: "Vidas em Desalinho" - Segunda Parte
Pelo espírito: Josefina Brito
Psicografia: Pedro Aguiar 

Raciocínios Evolutivos

 
 Que eu não perca o equilíbrio, mesmo sabendo que inúmeras forças querem que caia
                                                                       Chico Xavier
A sua irritação, não solucionará problema algum. O seu mau humor não modifica a vida. Não estrague seu dia.
                                                                        Chico Xavier
Procure descobrir o seu caminho na vida, ninguém é responsável pelo nosso destino a não ser, nós mesmos.                                                         
                                                                        Chico Xavier
O espírita é reconhecido pleo esforço que faz para a sua transformação moral e para vencer suas tendencias para o mal.
                                                                        Allan Kardec
Não tenho tempo de odiar quem me odeia, vou me ocupar em amar quem me ama.
                                                                        Chico Xavier
Cada um tem de mim, exatamente o que cativou.
                                                                        Charles Chaplin
Se você cometeu algum erro, isso significa que é tempo de aprender e não desistir.
                                                                        Chico Xavier
Se o riso, o amor e o prazer, merecem revanche. o resto mais que perda de tempo é perda de vida.
                                                                        Chico Xavier
Use a paciência e o perdão, infatigavelmente. Todos nós temos sido tolerados caridosamente pela bondade divina milhões de vezes, e conservar o coração no vinagre da intolerância, é provocar a própria queda na morte inútil.
                                                                        André Luiz / Chico Xavier
Toda pessoa que serve além do dever, encontrou o caminho para verdadeira felicidade.
                                                                        André Luiz / Chico Xavier
Os homens vivem como se nunca fossem morrer, e morrem como se nunca tivessem vivido.
                                                                        Dalai Lama
O homem deve se resignar e suportar os males sem murmurar, se quer progredir.
                                                                        Allan Kardec
Não atingiremos jamais a paz, sem desculpar o erros alheios que, em outras circunstãncias poderiam ser nossos.
                                                                        Emmanuel / Chico Xavier
Nenhuma atividade no bem, é insignificante... as mais altas árvores, são oriundas de minúsculas sementes.
                                                                        Chico Xavier
Lembra-te que falando ou silenciando, é sempre possível fazer algum bem.
                                                                        Chico Xavier
O homem modifica-se sempre. A luta enriquece-o, a dor, aprimora-lhe as emoções. e o sacrifício tempera-lhe o caráter.
                                                                         Chico Xavier
Planejar a infelicidade dos outros, é cavar com as próprias mãos, um abismo para si mesmo.No
                                                                         Chico Xavier
 
No mínimo a prece nos pacifica para que encontremos por nós mesmos a saída para a dificuldade que estamos enfrentando.
                                                                         Chico Xavier
Acostuma-te a tolerar e desculpar corrigindo em ti mesmo, aquilo que te desagrada nos outros.
                                                                         André Luiz / Chico Xavier
Não é pela maldade, que chegaremos à bondade.
                                                                         André Luiz
Não façamos de nossas dificuldades, nossos meios de vida.
                                                                         Josefina Brito / Pedro Aguiar

Agradecimento


Mais uma missão cumprida acima das expectativas, Queremos agradecer imensamente todos os nossos irmãos em Cristo, que fizeram parte desse trabalho, que foi de uma grandeza sem par, o empenho, a dedicação, a disposição desde cedo organizando tudo para que os nossos convidados se sentissem a vontade.
A espiritualidade sempre presente, protegeu não só os trabalhadores, mas o que nos ajudaram adquirindo o ingresso, interagindo com as músicas enfim, só temos a agradecer a Deus em primeiro lugar por permitir que fôssemos auxiliados durante todo o evento e a nossos irmãos trabalhadores e frequentadores da nossa casa de estudo, aprendizado e prática das palavras do Mestre Divino.
Muita paz a Todos.
                                             Pedro Aguiar

Sofrer e Aprender

 
(...)Aquele que segue a Jesus, por si harmonizar com o verdadeiro sentido do Bem, porá  em vibrações faculdades desconhecidas da alma, e a luz feérica da verdade descortinará para ele aspectos até então ignorados da criação. Ele se dedicará à conquista do progresso... e por isso mesmo estudará, trabalhará, e meditará sobre o plano divino e receberá, realmente, a luz da Ciência Eterna.
Dedicar-me-ei ao estudo ao trabalho à meditação... a vos seguir, enfim, quanto seja possível, meu  Jesus, pois, com efeito, cansei-me de viver em trevas e agora aspiro a luz imortal do conhecimento e do amor, que vossa doutrina concede... .

(...) Trecho do livro "RESSURREIÇÃO E VIDA"
Ditado pelo Espírito: LEÃO TOLSTOI
Psicografia: YVONNE AMARAL PEREIRA
Capítulo VII: O PARALÍTICO DE KIEV

(...) Este pequeno trecho de uma belíssima história, nos mostra quanto é edificante e benfazejo o sentimento que adquirimos ao vivenciarmos sofrimentos extremos e aprendemos a aceitar as piores dores como sendo exercícios da prática dos ensinamentos do mestre divino.
Enquanto nos julgarmos as piores criaturas alimentando vitimismo doentio, sem ao menos nos darmos ao trabalho de sabermos quem somos e porque estamos aqui, vagaremos sempre pelas estradas do desespero e até da loucura, pois ainda não internalizamos o significado verdadeiro das
palavras FÉ e PERSEVERANÇA.
Não nos basta dizer, Senhor, Senhor!, sem sabermos o que quer dizer tal expressão.
O estudo contínuo das leis d Deus, associado à prática, nos eleva e nos faz acreditar que somos o que precisamos ser e temos o que merecemos, independente de ser amor ou dor, cada um, com direito a viver uma experiência, e a que mais nos conduz ao progresso espiritual é que nos remete aos piores sofrimentos, não nos esqueçamos disso.
Muia Paz a Todos.
                                                                            Pedro Aguiar
  



Hoje, 21, tem Joanna de Ângelis no Caridade e Fé


Aula de hoje: Culpa e Consciência. Participe!

Caridade e Fé realiza melhorias em sua infraestrutura




Visando a acessibilidade em seus espaços, o Centro Espírita Caridade e Fé dá continuidade às obras em sua estrutura física. No auditório principal foi corrigido um desnível no piso, o que melhorou o acesso das pessoas à câmara de passes. A obra melhorou também a visualização de quem está no palco que agora está na delimitação adequada.



A entrada principal da casa também está sendo melhorada. O corredor de acesso está recebendo o alargamento do piso e um corrimão ao longo de toda a sua extensão. Nessa área também serão feitos serviços de pintura e paisagismo e iluminação, inclusive, com lâmpadas de emergência.



Desde o início do ano uma série de serviços, reparos e aquisição de equipamentos estão sendo realizados pela diretoria da casa. O auditório principal recebeu um novo data show e câmera de vídeo que envia imagem para um telão colocado no auditório lateral gerando maior comodidade e interação nas palestras.

A cozinha vem se modernizando com novos aparelhos, a livraria foi incrementada com mais prateleiras, livros e DVD's. A sala de reunião mediúnica recebeu novos móveis e as salas de evangelização e mocidade sofreram adaptações que facilitaram o uso nas suas diversas atividades.

Os calçadões da área interna também foram ampliados e o play ground está sendo reformado. A Campanha de fraternidade recebeu bonés novos e receberá ainda novas sacolas. Todas essas ações estão previstas no planejamento de estrutura física da casa para 2014, proposto pela comissão formada em novembro de 2013 por trabalhadores da casa que apresentaram essas sugestões.

Ainda neste ano, o espaço multiuso onde está localizada a livraria e biblioteca, também passará por reforma; serão colocados janelões que darão mais segurança ao ambiente e ainda permitirão a continuidade de iluminação e ventilação natural.

O projeto contempla para ainda em 2014 a construção do novo auditório com capacidade para 200 pessoas e que será em pavimento superior, sobre o calçadão principal.

Refletindo com Emmanuel: "Não Só"



"E peço isto: que a vossa caridade abunde mais e mais em ciência e em todo o conhecimento." - Paulo. (FILIPENSES, 1:9.)

A caridade é, invariavelmente, sublime nas menores manifestações, todavia, inúmeras pessoas muitas vezes procuram limitá-la, ocultando-lhe o espírito divino. Muitos aprendizes crêem que praticá-la é apenas oferecer dádivas materiais aos necessitados de pão e teto.

Caridade, porém, representa muito mais que isso para os verdadeiros discípulos do Evangelho. Em sua carta aos filipenses, oferece Paulo valiosa assertiva, com referência ao assunto. Indispensável é que a caridade do cristão fiel abunde em conhecimento elevado. Certo benfeitor distribuirá muito pão, mas se permanece deliberadamente nas sombras da ignorância, do sectarismo ou da auto-admiração não estará faltando com o dever de assistência caridosa a si mesmo?

Espalhar o bem não é somente transmitir facilidades de natureza material. Muitas máquinas, nos tempos modernos, distribuem energia e. poder, automaticamente. Caridade essencial é intensificar o bem, sob todas as formas respeitáveis, sem olvidarmos o imperativo de auto-sublimação para que outros se renovem para a vida superior, compreendendo que é indispensável conjugar, no mesmo ritmo, os verbos dar e saber.

Muitos crentes preferem apenas dar e outros se circunscrevem simplesmente em saber; as atividades de todos os benfeitores dessa espécie são úteis, mas incompletas. Ambas as classes podem sofrer presunção venenosa. Bondade e conhecimento, pão e luz, amparo e iluminação, sentimento e consciência são arcos divinos que integram os círculos perfeitos da caridade.


Não só receber e dar, mas também ensinar e aprender.

Momento Espírita: O sutil aroma da gratidão

Imagem da web

A vida dos grandes compositores, de um modo geral, foi assinalada por dramas e tragédias. Giuseppe Fortunino Francesco Verdi não fugiu à regra.
Jovem, foi ser professor musical de Margherita Barezzi, por quem se apaixonou.
Casados, tiveram dois filhos que morreram na infância, enquanto Verdi trabalhava em sua primeira ópera. E, enquanto ele compunha sua segunda ópera, Um giorno di regno, morreu sua esposa, com apenas vinte e sete anos.
Devastado pela dor, ele prometeu que não voltaria a compor. Não demorou muito para que a penúria lhe batesse à porta e tivesse crédito cortado em qualquer local em que pretendesse se alimentar.
Conta-se que, certa noite, em que o frio castigava a cidade, viu na rua uma mulher com duas crianças. Ela cozinhava castanhas, em um fogo improvisado.
Ele retirou o cachecol, ofereceu-o para a mulher e, humildemente, perguntou: Poderia me dar algumas castanhas, em troca disto?
Condoída, a mulher devolveu o cachecol com algumas castanhas. Enquanto as crianças a olhavam, sem entender, ela afirmou:
Ele está sentindo muito mais fome do que nós.
Dois anos mais tarde, no entanto, ele estreou a sua ópera Nabuco, que o tornou famoso em Milão.
Com boas roupas, crédito, um bom lugar para morar, ele voltou às ruas para procurar a mulher que lhe matara a fome, em noite invernosa.
Encontrando-a lhe perguntou se ela se recordava dele. Ele estava muito bem trajado para que ela o pudesse associar ao quase mendigo a quem ofertara algumas castanhas, em dias passados.
Ele lhe disse: Mas eu me lembro da senhora e não esquecerei o seu gesto.
Agasalhou-a em um xale para vencer a friagem das horas, e lhe colocou nas mãos algumas moedas.
E desapareceu na noite.
*   *   *
Felizes os corações agradecidos. Aqueles que não esquecem as bênçãos recebidas, os favores ofertados.
Alguém escreveu que uma das forças mais poderosas que existe - e pouco compreendida - é o poder da gratidão.
A gratidão engloba a força do reconhecimento de um poder superior a nós, que mexe com as engrenagens do Universo.
O ato de agradecer é maior do que qualquer dogma religioso.
Engloba também a força do pensamento positivo, que permite que possamos desenvolver o otimismo e a confiança em nós e no futuro.
E, com certeza, não nos faltam motivos para agradecer:
O fato de estar vivo, o estar ouvindo ou lendo esta mensagem.
Também pelas dificuldades do caminho. Elas se constituem em fortalecimento próprio e nos permitem que nos tornemos seres melhores e mais humanos.
São como as pedras no caminho que conferem maior segurança a quem transita, em dias de chuva e lama.
Talvez uma boa prática fosse destinar cinco minutos diários para espalhar o aroma sutil da gratidão.
Poderíamos nos servir de breves linhas, bilhetes deixados em locais estratégicos, curtas mensagens enviadas pelo telefone móvel.
Agradecer pelo carinho dos pais e amigos, pelo valor dos professores e profissionais médicos. Por quem nos serve o alimento, por quem providencia a limpeza do ambiente.
Ou para pessoas que, simplesmente, em certo momento, nos ofertaram a palavra certa.
Pensemos nisso.
Redação do Momento Espírita, com
pensamentos de Humberto Bez Batti, do site
www.sonoticiaboa.com.
Em 21.2.2014.

Você sabe o que acontece após a morte? Vídeo

Fonte Youtube

No programa transição alguns expositores espíritas abordam sobre alguns aspectos do que acontece conosco depois do desencarne.


Allan Kardec e os seus colaboradores



O século XIX desenrolava uma torrente de claridades na face do mundo, encaminhando todos os países para as reformas úteis e preciosas. As lições sagradas do Espiritismo iam ser ouvidas pela Humanidade sofredora. Jesus, na sua magnanimidade, repartiria o pão sagrado da esperança e da crença com todos os corações.

Allan Kardec, todavia, na sua missão de esclarecimento e consolação, fazia-se acompanhar de uma plêiade de companheiros e colaboradores, cuja ação regeneradora não se manifestaria tão somente nos problemas de ordem doutrinária, mas em todos os departamentos da atividade intelectual do século XIX.

A Ciência, nessa época, desfere os voos soberanos que a conduziriam às culminâncias do século XX. O progresso da arte tipográfica consegue interessar todos os núcleos de trabalho humano, fundando-se bibliotecas circulantes, revistas e jornais numerosos. A facilidade de comunicações, com o telégrafo e as vias férreas, estabelece o intercâmbio direto dos povos.

A literatura enche-se de expressões notáveis e imorredouras. O laboratório afasta-se definitivamente da sacristia, intensificando as comodidades da civilização. Constrói-se a pilha de coluna, descobre-se a indução magnética, surgem o telefone e o fonógrafo. Aparecem os primeiros sulcos no campo da radiotelegrafia, encontra-se a análise espectral e a unidade das energias físicas da Natureza.

Estuda-se a teoria atômica e a fisiologia assenta bases definitivas com a anatomia comparada. As artes atestam uma vida nova. A pintura e a música denunciam elevado sabor de espiritualidade avançada.

A dádiva celestial do intercâmbio entre o mundo visível e o invisível chegou ao planeta nessa onda de claridades inexprimíveis. Consolador da Humanidade, segundo as promessas do Cristo, o Espiritismo vinha esclarecer os homens, preparando-lhes o coração para o perfeito aproveitamento de tantas riquezas do Céu.


Fonte: Livro A Caminho da Luz. Cap. XXIII. O Século XIX. Emmanuel/Chico Xavier

O bilhete de Deus

Fonte: Youtube

Mensagem psicografada por Marcel Mariano, pelo espírito Marta.

Marcel Mariano estará no Centro Espírita Caridade e Fé dias 15 e 16 de março deste ano ministrando palestra e seminários em comemoração aos 56 anos da Casa.

Refletindo com Emmanuel "Agir de Acordo"



“Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis e desobedientes, e reprovados para toda boa obra.”
Paulo. (TITO, 1: 16)

O Espiritismo, em sua feição de Cristianismo redivivo, tem papel muito mais alto que o de simples campo para novas observações técnicas da ciência instável do mundo.

A Terra, até agora, no que se refere às organizações religiosas, tem vivido repleta dos que confessam a existência de Deus, negando-O, porém, através das obras individuais. O intercâmbio dos dois mundos, visível e invisível, de maneira direta objetiva esse reajustamento sentimental, para que a luz divina se manifeste nas relações comuns dos homens.

Como conciliar o conhecimento de Deus com o menosprezo aos semelhantes? As antigas escolas religiosas, à força de se arregimentarem como agrupamentos políticos do mundo, sob o controle do sacerdócio, acabaram por estagnar os impulsos da fé, em exterioridades que aviltam as forças vivas do espírito.

A doutrina consoladora da sobrevivência e da comunicação entre os habitantes da Terra e do Infinito, com bases profundas e amplas no Evangelho, floresce entre as criaturas com características de nova revelação, para que o homem seja, nas atividades vulgares, real afirmação do bem que nasce da fé viva.


Fonte: Livro Caminho, Verdade e Vida (Emmanuel/Chico Xavier)